Opinião de Laerte Pinto, Aveiro

Moro em Aveiro e trabalho em Vagos (funcionário público). Porque razão terei de voltar à EN 109? E, se tiver de pagar as portagens, porque razão não poderei beneficiar dos “benefícios fiscais”, à semelhança da facturação como despesa dos trabalhadores independentes? Mais, e não menos grave, é o facto de que se alguns Municípios vierem a estar isentos do pagamento, como se prevê para o Município de Vagos, porque razão eu não estarei isento? Afinal, a economia deste concelho e dos concelhos vizinhos passa pela circulação de bens e serviços entre eles. Um abraço.

Laerte Pinto

Notícias datadas de 2004

 Marcha-lenta contra as Portagens entupiu o IP5 durante duas horas

Duas horas e treze minutos para percorrer 23 quilómetros. A marcha lenta que ontem entupiu o IP5 >>>>

Espero que a Assembleia da República discuta a petição e que os deputados eleitos na região tenham a coragem de pôr à frente de tudo os interesses das pessoas que os elegeram", exortou Francisco Almeida

Assembleia Municipal de Viseu aprova moção contra as portagens no IP5 e IP3

A Assembleia Municipal de Viseu aprovou no dia 27 de Setembro, por unanimidade, uma moção contra a eventual cobrança de portagens nos Itinerários Principais (IP) 3 e 5, que servem o concelho

Ver todas as notícias

Sugestões e comentários para webmaster