Não às portagens na A23
posição do PCP.Santarém

Não ás portagens na A23!
O o PS com o apoio do PSD, prepara-se para introduzir portagens na A23.

A A23 atravessa os distritos da Guarda, Castelo Branco, Portalegre e Santarém, ligando a Guarda (nó da A25) a Torres Novas (nó da A1). Esta via, com uma extensão de 217 km é estruturante na rede rodoviária portuguesa.

A A23 assegura uma ligação estratégica nacional, na sua vertente transfronteiriça - pois é reconhecidamente uma das principais vias da exportação de produtos e mercadorias para Espanha e para a Europa - mas também regional - entre o litoral e o interior - com particular impacto no Norte do Distrito de Santarém, abrangendo e servindo os concelhos de Torres Novas, Alcanena, Entroncamento, Tomar, Vila Nova da Barquinha, Constância, Sardoal, Ourém, Abrantes, Mação e outros limítrofes.

Não há vias alternativas à A23

Os troços de Estradas Nacionais e as vias municipais existentes, quase todos em péssimo estado, não asseguram uma alternativa à A23, nem estabelecem uma ligação eficaz entre os municípios Abrangidos.

As vias tidas como alternativas são hoje inexistentes, ou seja, são piores do que as que existiam antes da sua criação, na medida em que há muito se transformaram em arruamentos urbanos repletos de constrangimentos (rotundas, passadeiras, semáforos, cruzamentos, zonas comerciais, etc.) que põem em causa o direito à mobilidade das populações, sendo que muitos destes troços são hoje da responsabilidade dos Municípios.

Só o entendimento PS/PSD, na sequência do desmantelamento dos serviços públicos, justifica as escolhas políticas da introdução de portagens na A23.

A implementação de portagens na A23 prejudica a coesão territorial e vai acelerar os fenómenos de êxodo das populações do interior para o litoral.

A implementação de portagens nas SCUT’s, de um modo geral, e em particular na A23, agravará a crise económica e social, que comprovadamente afecta a nossa região face às repercussões nas micro, pequenas e médias empresas e no tecido social que delas depende. A introdução de portagens afectará a sua competitividade, introduzindo mais efeitos perversos nos custos , ao mesmo tempo que contribuirá para um ainda maior desemprego e para o crescente envelhecimento das populações . Afectará ainda a mobilidade que a região tem como necessária e fundamental para o seu desenvolvimento e integração solidária da sua população.

A implementação de portagens nas SCUT’s terá consequências directas na sinistralidade rodoviária, na poluição ambiental, nos níveis de stress, no bem-estar e na saúde das populações.

Não são todos iguais!

O PCP sublinha o silêncio dos deputados do PS e do PSD eleitos pelo distrito de Santarém e lembra as declarações feitas no passado por representantes destes partidos, manifestando a sua oposição à introdução de portagens na A23!

Quem cala, consente! Lutar, vale sempre a pena!

O PCP, ao mesmo tempo que manifesta a sua total oposição à introdução de portagens na A23, apela aos cidadãos para que manifestem a sua oposição aos propósitos do PS e do PSD, na certeza de que estarão a contribuir para o desenvolvimento económico e social da Região e do País.

Julho de 2010
A Direcção
da Organização Regional de Santarém do PCP

Notícias datadas de 2004

 Marcha-lenta contra as Portagens entupiu o IP5 durante duas horas

Duas horas e treze minutos para percorrer 23 quilómetros. A marcha lenta que ontem entupiu o IP5 >>>>

Espero que a Assembleia da República discuta a petição e que os deputados eleitos na região tenham a coragem de pôr à frente de tudo os interesses das pessoas que os elegeram", exortou Francisco Almeida

Assembleia Municipal de Viseu aprova moção contra as portagens no IP5 e IP3

A Assembleia Municipal de Viseu aprovou no dia 27 de Setembro, por unanimidade, uma moção contra a eventual cobrança de portagens nos Itinerários Principais (IP) 3 e 5, que servem o concelho

Ver todas as notícias

Sugestões e comentários para webmaster